segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Natal diferente!



É natal! É tempo de sorrir e de cantar
De levantar as mãos para o céu e abençoar
De preparar o solo, e semear a boa semente
De levar a esperança, ao coração de toda gente
Venha! Vamos cantar juntos uma linda canção
Que fala de amor, de paz, de fé e de perdão
Porque é tempo de proclamar com ardor
Que para nossa alegria, nasceu o Salvador
Venha! Vamos fazer um natal diferente
Talvez, sem arvore de natal e sem presente
Mas um natal, onde brilha a verdadeira luz
Onde tem a primazia, o nosso glorioso Jesus
Ouça a sua voz...Ele te chama suavemente
Trazendo em suas mãos o valoroso presente
Comprado por alto preço no rude madeiro
Um presente oferecido para o mundo inteiro
E todo aquele que no seu coração, o receber
Desfrutará da alegria, de para sempre viver
Natal sem Cristo! É aniversário sem aniversariante!
É estrela sem o brilho, é um jardim sem a flor
É navegar sem a bússola, perdido e errante
Longe do seguro abrigo do teu Salvador
Por isso, faça deste natal, um natal diferente
Receba a Cristo, o nosso maravilhoso presente
E encontrarás no céu, uma mansão eternal
E para todo o sempre serás. Feliz Natal!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Natal para sempre



Que cena inesquecível aconteceu naquele dia
Numa cidade da Galiléia chamada Nazaré
Onde se encontrava a doce virgem Maria
Prestes a se casar com o seu amado José
Como toda noiva ela estava tão emocionada
Que seu coração bem mais forte batia
Com os olhos abertos ela sonhava acordada
Era um lindo momento para a doce Maria
Mas... Os seus sonhos foram interrompidos
Por aquela voz que ecoou aos seus ouvidos
Dizendo: “Salve agraciada! O Senhor é contigo”
Temerosa, Maria olha e vê o anjo Gabriel
Que trazia para ela as boas novas do céu
- Eis que em teu ventre conceberás e darás a luz
Ao filho de Deus, e o seu nome será Jesus
Maria perguntou sem entender tal missão
- Como se dará isto, se eu não conheço varão?
E para tranqüilizar o inquieto coração de Maria
O anjo Gabriel revelou como tudo aconteceria
- “Descerá sobre ti o Espírito Santo
E o poder do Altíssimo te cobrirá “...
E Maria, tão submissa, cheia de graça e amor
Respondeu: “Eis aqui a serva do Senhor
Cumpra-se em mim segundo a tua palavra”
Aleluias! O filho de Deus se humanizou
Nasceu, morreu, e ao terceiro dia ressuscitou
Glória a Deus nas alturas, paz na terra
E boa vontade para com os homens
A morte foi vencida, aniquilou-se o mal
E no coração do homem, para sempre é natal

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ele nasceu


Ele nasceu, e mudou a história da humanidade
Ele nasceu, para nos dar vida na eternidade
Ele nasceu, trazendo ao homem a oportunidade
Ele nasceu, trazendo ao cativo, plena liberdade

Porque Ele nasceu, não andamos mais sem direção
Porque Ele nasceu, colhemos os frutos da salvação
Porque Ele nasceu, a sua paz reina em cada coração
Porque Ele nasceu, foi restaurada a nossa comunhão

Para que Ele nasceu? Para que o amor do pai fosse provado
Para que Ele nasceu? Para perdoar todos os nossos pecados
Para que Ele nasceu? Para que o poder do mal seja aniquilado
Para que Ele nasceu? Para tirar do homem, seu fardo pesado

Se creio que Ele nasceu, no seu nome desfaço todo mal
Se creio que Ele nasceu, aguardo por sua vinda triunfal
Se creio que Ele nasceu, tenho a paz e a alegria eternal
Se creio que Ele nasceu, faço de todo dia, “Um Feliz Natal”.

Feliz Natal


É Natal! Uma alegria diferente envolve toda cidade e penetra nos corações. Por um momento, as lágrimas são enxugadas, as queixas são esquecidas, e a violência e injustiça social são apagadas da mente de cada um. Entre tantos sorrisos e alegrias, surgem as tradicionais frases que deslizam dos lábios e ecoam pelos ares dizendo: Feliz Natal! Boas Festas! Próspero Ano Novo!
É Natal! O amor está em alta, as pessoas parecem mais felizes, a humanidade sonha....
Que bom seria, se toda esta manifestação de amor continuasse em alta e transbordasse todos os corações, não somente no período de natal, mas em todo tempo...
Que bom seria, se com o passar dos dias, as nossas palavras continuassem sendo de ânimo e esperança, profetizando a paz, a saúde e o amor para o mundo inteiro...
Que bom seria, se nossas mãos permanecessem estendidas para abençoar, para ajudar e para socorrer o necessitado, sem que fosse necessário esta força do “espírito natalino” para levantá-las ...
Que bom seria, se todos os homens não apenas falassem de amor, mas que pudessem experimentá-lo através Daquele que se deu por amor; o amor que perdoa, o amor que permanece, o amor que vence...
Que bom seria, se nossas mentes fossem verdadeiramente modificadas, de modo que não mais houvesse distinção entre o grande e o pequeno, entre o rico e o pobre, nem entre o forte e o fraco, mas que todos os homens se tornassem um no amor de Cristo...
Que bom seria, se a paz que anda de lábios em lábios fosse entronizada dentro dos nossos corações, nos levando a trocar as armas pela Bíblia, a violência pela mansidão, o ódio pelo amor ...
Que bom seria, se os lares continuassem festivos, reluzentes e bem adornados, mas não por pisca-piscas ou enfeites natalinos, mas pela luz de Cristo que brilhará eternamente...
Que bom seria, se todos os homens de mãos dadas formassem um lindo coral, louvando e agradecendo a Deus pelo menino que nasceu, morreu e ressuscitou para a salvação do mundo...
Ah! Que bom seria!...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O valor da Bíblia


Hoje é o dia da Bíblia sagrada
E ao vê-la com júbilo sendo aclamada
O meu coração pergunta comovido:
Tens dado à bíblia o lugar merecido?

Perdoe-me... Ò palavra bendita e santa
Pela minha negligencia que é tanta
Te conheço há tanto tempo e só hoje percebi
Que tão pouco tenho falado de ti,,,

Perdoe-me... Porque te deixo sempre fechada
Como bibelô sobre o móvel, empoeirada
Tens mistérios insondáveis para me revelar
Mas nunca te abro, para te ouvir falar

Admiro tantas coisas, e não vejo a tua beleza
Em tudo procuro valores e não acho a tua riqueza
Com muita ousadia, de vários assuntos falo
Mas se falam de ti, com timidez eu me calo

Mas hoje, prometo que vou te valorizar!
E que no meu coração, farei o teu altar
Onde quer que eu for, te levarei comigo
Para guiar meus passos ao seguro abrigo

Pois tu és, uma linda história de amor!
Uma história, cujo próprio Deus é o autor
Outorgada com sangue naquela rude cruz
Quando pelos nossos pecados morreu Jesus

Por isso minha bíblia, eu vou te valorizar
Em todo tempo, ocasião, e em todo lugar
Nos campos ou na cidade, de ti vou fazer menção
Para que todos os perdidos, encontrem a direção
Pois tu és a palavra, santa, bendita e fiel
Que abre na terra, uma porta para o céu...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Mestre, como esquecê-lo?

Como posso esquecer neste feliz momento
Alguém que com tanto desprendimento
Dedica a sua vida para o bem de outras vidas
Que renuncia o laser e passa noites indormidas
Combatendo os vestígios da fadiga cruciante
Fazendo de tudo para poder levar avante
A sua tão sublime missão de ensinar...
Este alguém com certeza é um mestre querido
Que embora mal remunerado ou até esquecido
Ainda guarda no peito o grande contentamento
De levar a tanta gente o poder do conhecimento
Que faz deste mundo um lugar bem melhor...
Mestre! É impossível tirá-lo da minha existência
Pois em cada passo eu posso ver com veemência
O valor dos conhecimentos e de tantos ensinamentos
Que amorosamente, um dia você passou para mim...
E durante as batalhas, diante de tantas muralhas
Eu prossigo com firmeza, me sentindo confiante
Porque guardo comigo e faço uso a todo instante
Das suas palavras, do seu exemplo e da sua conduta
Eles são os incentivos, que me levam com passos decisivos
A entrar nos grandes combates e vencer a árdua luta
Lembrando seu cuidado, entendo as palavras expressivas:
“Tu ti tornas responsável por aquilo que cativas”
Verdadeiramente, me seria impossível simplesmente
Apagar as suas marcas na minha caminhada
Por isso, enquanto eu peregrinar por esta estrada
Louvarei a Deus por sua vida, para que em toda sua lida
Nunca lhe falte o amor, a paciência, o cuidado e a fé
Para que meu mestre querido seja cada vez mais parecido
Com o Mestre dos mestres: Jesus de Nazaré.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Ao chegar da primavera



A primavera chegou e o pequeno jardim floresceu
Ele que andava triste, sentindo os rigores do inverno
Pois o sol que brilhava, entre as nuvens se escondeu
O tempo ficou nublado, o vento mais forte soprou
E o jardim ficou deserto e de tristeza chorou...
Ali, ninguém mais sentia o perfume das flores
Que outrora se abriam, exibindo suas cores
As árvores ressecadas, viram suas folhas caindo
E os pássaros sem abrigo, aos poucos iam fugindo
A terra ficou ressentida, e nada mais produzia
E o jardim solitário perdeu toda a sua alegria
Mas um dia, após tão tenebrosa espera
Uma flor desabrochou anunciando a primavera
Da tristeza do inverno, o jardim se esqueceu
Pois tudo que estava seco, outra vez enverdeceu
As flores desabrocharam; os canteiros ficaram floridos
Os pássaros em revoadas, voltaram com alaridos
E o jardim satisfeito, esquecia a sua dor
Cada vez que assistia desabrochar uma flor
Chegou o tempo de sorrir! Foi-se o tempo de sofrer!
Pois o choro pode durar por uma noite,
Mas a alegria sempre chega ao amanhecer
Não há inverno tão frio, nem tão angustiosa espera
Que não termine, ao chegar a primavera

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Escola Bíblica Dominical

Sou tão importante... Mas tão pouco valorizada
Por coisas pequenas, muitas vezes sou trocada
A cada domingo, eu espero tanto para te falar!
Insondáveis mistérios, eu tenho para te revelar
Na hora marcada, abro os braços para te receber
Mas... O teu lugar está sempre vazio. Por que?

Venha! Venha conhecer, crescer e prosseguir!
Pois na palavra do Senhor eu quero te instruir
Pelas escrituras sagradas te levarei a passear
E em mistérios profundos te farei mergulhar
Eu modelo caráter, acrescento virtudes e valores
Eu preparo ministros, mestres e bons pregadores

Eu ensino o homem a andar com dignidade
Faço dele, um cidadão útil para a sociedade
Ensino a esposa a ser santa, fiel e virtuosa
Ao esposo, aponto uma vida reta e honrosa
Conserto lares desfeitos, filhos desobedientes
Faço servos abençoados, preparados e reverentes


Sou importante no crescimento da vida espiritual
Pois fortaleço os crentes na batalha contra o mal
Eu renovo a esperança e levo a cada coração
A necessidade do amor, da justiça e do perdão
Eu desfaço a mentira, a ignorância e a heresia
Levando-te a percorrer o caminho da sabedoria

E nada! Nem os ventos de doutrinas te abalarão
Por que os teus pés, firmes na rocha estarão
Ah! Se tu soubesses como eu tenho esperado
A cada domingo, pelo nosso encontro marcado
Para mim tu és único, importante e especial
Venha! Eu sou a Escola Bíblica Dominical

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Vulto na estrada


Lança o teu olhar sobre aquela estrada
Vês um vulto que ao longe se vai?
Não leva amigos, bagagem nem nada
É o filho que responde ao chamado do Pai.

Para trás deixa casa, amigos, saudade
Seu destino é um lugar que não conhece
Não questiona, se ir é a sua vontade
Pois quando um pai manda, o filho obedece.

No fim desta estrada, há um povo que clama
Certamente um coração, por Cristo chama
Assim ele vai... Cumpre o IDE de Jesus
Renega a si mesmo e carrega sua Cruz.

Mas ele não vai só, nesta caminhada incerta
Tu estarás seguindo-o com teu coração
Sustentando-o através da tua oferta
Vá também, com o teu joelho no chão.

Olha! Lança de novo teu olhar sobre a estrada!
Não há mais vulto, poeira, não há mais nada.
Ele se foi. Sem dinheiro e sem amigo
Não levou conforto, não levou abrigo.

Com as mãos vazias e o coração transbordando
Não te preocupes, porque missões é isto!
Há uma voz que continua chamando
Ouve e responde. É o chamado de CRISTO!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Pai, quando eu venho falar contigo

Pai, quando eu venho falar contigo...
Com o coração magoado e intranqüilo
Eu encontro em ti, mais que um amigo
Com a palavra certa para o meu alívio

Pai, quando eu venho falar contigo...
Temendo o vento e a força da tempestade
Nos teus braços encontro o seguro abrigo
E me escondo, até que passe a calamidade

Pai, quando eu venho falar contigo...
Sentindo-me sem ânimo para caminhar
Tu me abençoas e pela estrada prossigo
Com forças renovadas, para muralhas saltar

Pai, quando eu venho falar contigo...
Sentindo-me incapaz e sem nenhum valor
No teu amor e no teu cuidado eu consigo
Sentir que sou muito mais que vencedor

Pai, quando eu venho falar contigo...
E me fazes sentir o quanto sou amado
Fico sem palavras, nunca sei o que digo
E expresso o meu amor, muitas vezes calado

E meio sem jeito, neste grande embaraço
Sinto-me criança, em busca de um abrigo
E encontro o refúgio nos teus ternos braços
Todas as vezes que eu venho falar contigo...

terça-feira, 27 de julho de 2010

O amor de um Pai


Você ficou só e de tristeza chorou
E com o coração ferido, amargurado
Você saiu a procurar por todo lado
O aconchegante amor de um pai...
Então, você andou por diversos lugares
Procurou sobre a terra e até nos mares
E percorreu todos os recantos da cidade
Foi nos lugares carentes, e na alta sociedade
Desceu aos vales, subiu aos montes também
Porque você precisava tanto encontrar alguém
Para encher o imenso vazio do seu coração
Determinado, você buscou nos prazeres da vida
Sufocar a sua angústia e cicatrizar a ferida
Mas a sua alma, extasiada por prantos e ais
Reclamava ainda pelo amor de um pai...
Tentando encontrar a paz do seu interior
Você procurou nos deuses e nas religiões
Mas ali, não encontrou a paz e nem o amor
Somente mentiras, enganos e decepções
O que fazer? Você ficou triste e desapontado!
Procurou tanto, e não achou o amor desejado
E sufocando o grito de dor que da alma sai
Você insistia em provar o amor de um pai...
E só nesta hora, quando tudo parecia o fim
Você olhou para o céu; você olhou para mim
E após tanta procura, você me deu atenção
Enfim, agora eu posso falar ao seu coração:
- Filho, eu sou o amor que procuravas tanto
Sou o teu salvador, sou justo, fiel e santo
Vou enxugar dos teus olhos esta lágrima que cai
E para sempre terás o amor de um pai...

sábado, 24 de julho de 2010

Agora sou avó!


Filha, esposa, mãe, e agora sou avó!
Bênçãos sobre bênçãos, o Senhor me concede
A minha alegria é tanta que muitas vezes excede
Ao que pode suportar o meu pequeno coração...
Agora, sou avó! E parece que volto a ser criança
Vivendo no mundo da fantasia e da esperança
Pois é tão bom ver os meus netinhos sorrindo
De lá para cá, sempre correndo ao meu redor
Para mim é como viver o sonho mais lindo
Quando me abraçam dizendo: “te amo vovó”
Nesta hora sinto-me como uma árvore plantada
Junto aos ribeiros e pelas águas sendo regada
Produzindo seus frutos no tempo determinado
Assim são os netos; a nossa coroa e o legado
Um tesouro almejado de incalculável valor
Um presente do céu, que nos envia o Senhor...
Agora, sou avó! Sou mãe duplamente agraciada
Tanto, que não encontro palavras para agradecer
A fidelidade de Deus que me permite ver
Os filhos dos meus filhos, a minha geração
Por esta festa contínua, dentro do meu coração...
Obrigada Senhor! Porque me conservaste a vida
E das alegrias terrenas me reservaste a melhor
A benção de ser amada e amar sem medida
E entre tantos nomes ser chamada de vovó.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Vim para ficar

Um, dois, três... Está quase chegando!
Minutos, horas e dias estou contando
Faço contas, olho o calendário outra vez
Segundo domingo de agosto. É neste mês!

Pai, quero ver aquela porta se abrindo
E por ela, vou contemplar-te sorrindo
De braços estendidos e alegria no olhar
Dizendo: meu filho, eu vim pra ficar!

Vou brincar e correr a qualquer hora
Sem te ouvir dizer: “Tenho que ir embora”
Vou fazer do teu abraço o meu abrigo
E gritar: este é meu pai, meu herói e amigo

Pela manhã vou acordar bem cedinho
E ouvir os teus conselhos com carinho:
- Filho, cuidado, estude, afaste-se do mal
Seja sempre justo, honesto, prudente e leal

Um, dois, três... Acho que vou contar novamente
Mas quanta alegria meu coração hoje sente!
Ele espera a hora em que papai vai chegar
Dizendo: meu filho, eu vim pra ficar...

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Toca-me

Toca-me, mas toca-me com fé
Como um dia me tocou aquela mulher
Que há doze anos padecia de um mal
Ela tocou-me, de um modo especial

Era grande a multidão que me seguia
Me apertava e oprimia, mas de repente!
Senti que a virtude do meu corpo saía
Quem me tocou no meio de tanta gente?

E aquela mulher, sabendo o que tinha acontecido
Temendo e tremendo diante de mim se prostrou
Pois quando ela tocou na orla do meu vestido
Logo sentiu que a fonte do seu mal secou

Então eu lhe disse: “Filha, a tua fé te salvou
Vá em paz e sê curada deste teu grande mal”
E aquela enfermidade do seu corpo se afastou
Por tocar nas minhas vestes de forma especial

Toca-me! Hoje eu quero de novo ser tocado
Coloque em minhas mãos este fardo tão pesado
Deixe sobre mim os teus anseios e fracassos
E a paz verdadeira sentirás nos meus braços

Toca-me! E, eu curarei a tua enfermidade
E juntos caminharemos rumo à eternidade
Quero dar o refrigério à tua alma cansada
E guardar no céu, a tua eterna morada

Toca-me! Porque hoje eu quero sentir
Outra vez, a virtude do meu corpo sair
Toca-me! Eu quero ser tocado com fé
Como um dia me tocou aquela mulher.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Atrás dos montes


Quando olhares o sol se pondo no horizonte
Lembra-te, que por detrás daqueles montes
Existe alguém, calçado ou de pé no chão
Talvez numa tribo, casebre, ou numa mansão.

Alguém com característica diferente da tua
Não fala o teu idioma e vive na escuridão
Seu deus pode ser um rato, o sol ou a lua
Tanto faz! Ele não conhece a salvação.

Ultrapasse aqueles montes, ó pregador da luz!
Desfaça estas trevas com a mensagem da cruz
Se há dois mil anos atrás, Jesus nos libertou
Porque até hoje, a salvação ali não chegou?

Dia e noite, almas aflitas estão gemendo
Sufocada pelas trevas, multidões estão morrendo
A passos largos estão seguindo rumo ao inferno
E só tu podes mudar o seu destino eterno.

Podes por detrás dos montes ouvir um grito?
É de um coração, que por salvação reclama aflito
Impeça que esta vida morra no seu pecado
Porque por ela, o sangue de Cristo foi derramado

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Amas-me?


Simão, filho de Jonas, amas-me?
Sim, senhor; tu sabes que te amo
Então... Apascenta as minhas ovelhas
E o bom Pastor uniu apascentar e amar
Por que ninguém pode apascentar sem amor
E só ama as ovelhas, aquele que ama o Pastor
Amas-me? Outra vez perguntou preocupado
Porque Ele temia entregar o seu cajado
A quem não tem um coração de pastor...
O amor foi a essência do ministério de Jesus
Por amor, Ele tomou sobre si a nossa cruz
Restaurando a Deus a humanidade perdida
O amor de Cristo, inexplicável e sem medida
Torna o ser humano submisso e abnegado
Capaz de renunciar os seus projetos de vida
Pela sublimidade de erguer o seu cajado...
Por amor, o pastor sente falta da ovelha distante
Que deixou o aprisco e por caminhos errantes
Cercada pelos espinhos, sem ter alento chora
Mas, o bom pastor se levanta e nesta hora
Deixa as noventa e nove, e sai à sua procura
E quando encontra a sua ovelhinha perdida
Ele a toma nos seus braços e com ternura
Enxuga suas lágrimas, e cura a sua ferida
Que sublime amor, há no coração do pastor!
Amor que gera ovelhas produtivas e confiantes
Que seguem o pastor, pelos pastos verdejantes
Que linda caminhada! Que grande felicidade!
Vão olhando para o céu, rumo à eternidade...

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Um homem especial


Quem será aquele homem
Que vi passar pela estrada?
Ele não levava dinheiro...
Ele não levava bagagem...
Ele não levava nada...
Levava apenas um cajado
Um valoroso cajado de pastor
Que com firmeza ele erguia
Quando passo a passo seguia
Conduzindo as ovelhas do Senhor...
Quem será aquele homem
Amado e acatado por suas ovelhas?
Ele tinha no olhar tanta bondade
E falava com fé e autoridade
Dos insondáveis mistérios do céu...
As suas ovelhas o seguiam confiantes
Mansamente, em busca de pastos verdejantes
As enfraquecidas, feridas, ou mesmo cansadas
Nos braços do bondoso pastor eram levadas.
Ah! Mas como aquele homem era diferente!
Ele não parecia daqui. Era puro, transparente...
E em meio às trevas, brilhava como a luz.
Eu não sei dizer quem é aquele homem
Mas sei que ele é parecido com Jesus...

domingo, 30 de maio de 2010

Rimas para um pastor


Eu queria escrever um poema
Um poema sem limites e tamanho
Uma mensagem singela e pequena
Ao pastor que conduz seu rebanho

Eu queria ter talento e sabedoria
E uma linda melodia compor
Mas sei fazer apenas uma simples poesia
Versos pequenos, para um grande pastor

Começo então a escrever o poema
Mas de repente encontro um problema
Rimas! Como posso lindos versos compor
Se eu não tenho rimas para um pastor?

Então, olho para sua vida a procura de rimas
E a primeira encontro no culto de doutrina
Quando nosso pastor, com paciência e amor
Como o bom mestre, ensina a palavra do Senhor
Ali encontro a primeira rima: pastor e professor

Em seguida, recordo a sua vida de oração
Quando de joelhos dobrados em contrição
Ele passa horas intercedendo ao Senhor
Que se inclina no céu e escuta o seu clamor
Assim, encontro outra rima: pastor e intercessor

E a procura de rimas, chego até seu coração
E lá, encontro misericórdia, paz, justiça e perdão
Encontro a referencia, que faz de um homem pastor
Encontro grande suprimento, do sublime sentimento
Que me lembra outra rima: pastor e amor

Ah! Mas também encontrei em sua vida
Um grande cuidado com a ovelha ferida
Ele é um medico de alma, que com tanto amor
Tem sempre o remédio certo para nossa dor
E como ficou bem esta rima: pastor e doutor

Mas em sua vida encontrei também a adoração
Porque hinos ao Senhor ele louva de coração:
Sim, o nosso pastor é um grande adorador
E me fez lembrar outra rima: pastor e louvor

E outra virtude em sua vida, fui me lembrando
Ele é incansável! Está sempre trabalhando
Não tem horas para sair e nem para chegar
Consegue administrar, atender e visitar
O que pode mover assim o nosso pastor?
E a resposta é outra rima: pastor e vigor

E enfim, me lembro da sua vida transparente
Porque o nosso pastor, também é fiel e temente
Sempre zeloso! Tem um ministério glorioso!
Se afasta do mal, para agradar ao Senhor
Ele merece esta rima: pastor e temor

Encontrei tantas rimas para um pastor!
E uma a uma menciono em seguida:
Professor, intercessor, amor, doutor, louvor...
Mas de repente fico um tanto constrangida
Porque notei que uma rima foi esquecida
E sem ela, o poema não se completou

Pois muitas vezes, o pastor parecia triste
Notei que ele estava até preocupado
Talvez, por uma ovelhinha que insiste
Em andar diferente, no caminho do pecado

Muitas vezes, eu vi o pastor chorando
E ao lembrar as suas lágrimas
Encontrei a rima que estava faltando
Não ... eu não queria esta rima para o pastor
Mas, pastor também rima com a dor
Porque um pastor, também sente dor.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Quando você ora...


Quando você ora, quanta coisa acontece!
Até o fundamento do inferno estremece
Os cativos e oprimidos são libertos sem demora
Muitas coisas acontecem quando você ora...

Os enfermos se levantam e já estão curados
Aos mortos torna a vida e são ressuscitados
O que nada sabe fica cheio de sabedoria
Torna seu companheiro, aquele que te perseguia
O fraco fica forte, dá gloria a Deus e O adora
Tudo isto acontece, quando você ora...

O filho rebelde fica tão obediente!
O marido incrédulo se converte e vira crente
O ministério dá as mãos e se torna mais unido
O pastor sem unção se renova e fica ungido
O coral não ia bem e como está louvando agora!
Porque tudo se transforma, quando você ora...

Muda o céu, muda a terra, muda a natureza
A chuva não pode cair, pois nas nuvens fica presa
Leões ferozes fazem jejum e se esquecem de comer
E o forno que era ardente, fica frio sem arder
Satanás fica medroso e cabisbaixo vai embora
Coisas grandes acontecem, quando você ora...

A mulher estéril, torna alegre mãe de filho
A igreja cresce e mostra ao mundo seu brilho
O afastado do caminho retoma a direção
E todo dia na igreja, é dia de conversão
O Espirito Santo renova e batiza sem demora
Porque tudo acontece, quando você ora...

Ah! Se você soubesse que poder imenso
Tem a sua oração quando sobe como incenso
E como cheiro suave chega ao trono do Senhor
Ele se inclina no céu e escuta o seu clamor
E o impossível, torna-se possível nesta hora
Porque todas as coisas acontecem, quando você ora...

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Mãe, onde estás?


Ser mãe não é um simples ato de gerar
É mais que isto, ser mãe é também amar
Por que existe quem gera, mas não ama
E existe quem ama sem gerar...
O amor é uma prova eficaz da maternidade
Através do amor, reconheceu o rei Salomão
Entre duas mulheres, qual era a mãe de verdade
Ser mãe é gerar um filho dentro do coração
Independente das circunstâncias ou situação
Às vezes anônimas, ocultas, ou não reconhecidas
Ou quem sabe se como as violetas, escondidas
Mas sempre perfumando a vida que não gerou
Mãe, onde estás? Que lindo coração é o teu!
Que sublime missão o Senhor te concedeu!
A missão de se tornar mãe, através do amor
De amar sem limites, como nos ama o Senhor
Teu amor se expressa nas lágrimas de emoção
Quando clama por teu filho através da oração
Está na tua mão estendida, pronta para abençoar
E nas noites indormidas que passas a acalentar
Nas renúncias, no sonho que não tornou realidade
Pois o trocaste pelo sonho maior da maternidade
Tu és mãe, não apenas porque geraste um filho
És mãe, porque não podes ofuscar o brilho
Que nos teus olhos reflete o teu grande amor
És bem aventurada, és virtuosa e agraciada
Como foi Maria, a mãe do meu Senhor...

Alegria de ser Mãe


Lá vem o meu filho. Ó quanta alegria!
É ver em sua vida, dia após dia
O meu sonho de criança realizado
Ah! Eu deixava sempre tudo de lado
Tomava nos braços meu boneco de pano
E passava horas e horas sussurrando
A mais linda canção de ninar:
“Dorme neném, mamãe tem o que fazer
tem roupa pra lavar e costura pra coser”...
Lá vem o meu filho. Ó quanta alegria!
É ver o fruto do meu ventre gerado
Aquele, que em oculto foi contemplado
Pois sem que eu soubesse da sua existência
O Senhor, na sua grandeza e onisciência
Escreveu, cada um dos seus dias...
Lá vem o meu filho. Ó quanta alegria!
E o que mais ao Senhor eu pediria?
Ele me deu um filho. Ó que grande ventura!
E como Ana, no seu gesto de doçura
Ao Senhor, meu filho também entreguei.
Filho! Tu não és meu, és do meu Senhor
Mas em todo lugar em que Ele te enviar
Nunca te esqueças deste meu amor...

Mãe


Mãe, eu não sabia que eras tão linda
Até que amamentaste junto à janela
O amor que fluías te deixava ainda
Mais graciosa e muito mais bela.

Mãe, eu não sabia que eras tão doce
Até que teu filho, ensaiou o primeiro passo
Abraçaste-o com ternura como se possível fosse
Tanto amor ser contido num abraço.

Mãe, eu não sabia que eras tão zelosa
Até que teu filho, para a escola caminhou
De mãos dadas pelas ruas, seguias orgulhosa
Limpo e bem cuidado, tua herança do Senhor.

Mãe, eu não sabia que eras tão sábia
Até que teu filho se tornou adolescente
Cercado pelas dúvidas, tu abrias a palavra
E de Deus buscavas a resposta coerente.

Mãe, eu não sabia que eras tão solidária
Até que teu filho, sentiu a primeira decepção
Outra vez no colo enxugaste suas lágrimas
E o fizeste dormir com uma linda canção.

Mãe, eu não sabia que eras tão santa
Até que teu filho, por este mundo afora se foi
Sufocaste a dor e o soluço na garganta
E sorrindo dizias: Meu filho, Deus o abençoe...

quinta-feira, 22 de abril de 2010

As mãos de minha Mãe


Ainda me lembro com ternura
Das incansáveis mãos de minha mãe
Eram ágeis, eficientes, e confortantes
As benditas mãos que a todo instante
Estavam estendidas para mim...
Eram valorosas como duas guerreiras
Eram duas inseparáveis companheiras
Sempre lutando para o melhor servir
E nas horas de amarguras, nas noites escuras
Qual bússola mostravam o caminho a seguir
Mãos, que só se levantavam para o bem
Para ajudar, abençoar e acolher alguém
Mãos, que muitas vezes vi calejadas
Como as de Cristo que na cruz pregadas
Pelo grande amor que sentiu por mim...
Mãos, que hoje se movem lentamente
Ficaram frágeis, trêmulas e dependentes
O tempo passou, e agora desgastadas
Como irmãs gêmeas, estão sempre entrelaçadas
Parecem inúteis, mas têm inestimável valor
Pois falam de uma vida, de renúncias e de amor
As mãos de minha mãe...benditas entre tantas!
Oh! Que mãos tão maravilhosas e santas!
Mãos que afago entre as minhas com carinho
Fazendo delas o meu mais seguro ninho
Na difícil hora da minha aflição...

terça-feira, 13 de abril de 2010

Que ovelha tenho sido?


Senhor, hoje é o dia do pastor e eu venho te agradecer, porque sou uma ovelha e tu me deste um pastor segundo a tua palavra. Um imitador de cristo, o Divino pastor, que com carinho guia-me mansamente às águas tranqüilas e faz-me repousar em pastos verdejantes. Neste dia tão especial, olhando para minha posição de ovelha eu te pergunto: Senhor, que ovelha tenho sido? - Perdoa-me Senhor, porque nós as ovelhas, muitas vezes andamos tão dispersas e tão alheias e nem percebemos as lutas, as preocupações e nem a dor que envolve a vida de um pastor. Perdoa-me senhor, pelas vezes que ele precisou de uma palavra minha e eu não dei. Afinal, as ovelhas sempre pensam que dar é obrigação do pastor e que ovelha só precisa receber. - Perdoa-me Senhor, pelos seus problemas que eu nunca percebo! Alias, sempre trouxe todos os meus problemas para que ele resolvesse para mim, esquecendo-me de que pastor, também passa por aflições, por lutas e necessidades. Que ele também tem uma casa, uma família para cuidar, uma esposa que precisa de atenção, filhos que também adoecem, remédios para comprar, contas para pagar... - Perdoa-me Senhor, pela ofensa que ele ouviu de mim naquele dia. Ah! Como deve ter doído o seu coração. Logo depois, eu trouxe a minha oferta, tomei a santa ceia... nem me lembrei de pedir perdão a ti, nem a ele, pois nós as ovelhas, muitas vezes nos esquecemos de que pastor também tem sentimentos, que chora, que sofre e que é feito da mesma matéria sensível que nós. - Perdoa-me Senhor por tão pouco ter dado e pelo muito que dele tenho cobrado. Porque muitas vezes, destacamos as suas faltas e seus defeitos e nem percebemos os seus acertos, nem as suas virtudes. - Perdoa-me Senhor, pelos seus momentos difíceis em que ele tanto precisou das minhas orações e eu tenho orado por tantas pessoas, por tantas causas e dele na verdade, pouco tenho me lembrado. - Perdoa-me Senhor, pelas privações e preocupações que ele tem passado, por coisas que muitas vezes, eu poderia tê-lo aliviado. Mas não, no meu egoísmo, eu nunca pensei que um pastor, também precisasse de “sustento material”. Aliás, eu sempre pensei que “isto” fosse coisa de ovelha e não de pastor. - Perdoa-me Senhor, por não ter percebido o seu cansaço, seus dias difíceis, suas noites mal dormidas, a sua necessidade de descanso, de laser, talvez de umas férias! Afinal, nunca passou pela minha cabeça de ovelha, que um pastor também tem um corpo material, que se fadiga, que sente dores, que adoece... - Perdoa-me Senhor, porque eu não fui suporte, quanto ele se sentiu fraco. - Por eu não ter-lhe dado sequer um sorriso, quando ele se sentiu triste. - Por nunca ter dito: Pastor conte comigo! Quando esta frase precisava tanto ser ouvida por ele. - Por eu não ter tido olhos espirituais para ver o que ele representa para mim, para tua igreja e para teu reino e por não ter tido esta visão espiritual, nunca o valorizei como devia. Enfim, perdoa-me Senhor, porque eu queria que o meu pastor fosse como os super-heróis. Talvez um super homem! Com super poder, visão de raios-X, que voasse e estivesse em todos os lugares ao mesmo tempo e que socorresse e resolvesse todos os nossos problemas! Mas não, o meu pastor não é nenhum super-herói, ele também não é o super-homem, embora seja um homem tão especial. Mas ele é teu servo, o teu escolhido e filho. É também uma ovelha como eu, que necessita da tua graça, das tuas misericórdias e da tua ajuda para continuar...

terça-feira, 30 de março de 2010

Figueira Infrutífera


Nasci em Betânia, à beira de um caminho
Nos meus galhos, lindos pássaros faziam ninho
Eu era bela, frondosa e orgulhosa até a raiz
Acariciada pelo vento, eu era uma figueira feliz

Vivia apenas da minha beleza aparente
Até que numa linda manhã de repente
Uma voz suave chegou ao meu ouvido:
- “Figueira, dê-me o fruto que tens produzido”.

Ah! Não posso explicar o que senti nesta hora
Procurei, mas não achei nenhum fruto. E agora?
Ainda pálida e trêmula, outra vez a voz escuto:
_“Figueira, tenho fome! Dê-me o teu fruto.”

Meu Deus! Eu era uma figueira morta e não sabia disto
Pensava que tinha tudo e não tinha um fruto para Cristo
Chorei, e sacudida pelo pranto outra vez a voz ouvi:
_“Figueira, nunca mais alguém coma fruto de ti”.

E mais tarde, os que passavam por aquela estrada
Olhavam para mim e da bela figueira não viam nada
Eu estava seca... Fui amaldiçoada por Jesus
Como exemplo, para toda a árvore que não produz

Muito tempo passou e a minha história ficou conhecida
Sempre atual, ela desperta do comodismo muitas vidas
Que vivem de aparência, mas nenhum fruto produz
São infrutíferas como eu, nada têm para dar a Jesus.

segunda-feira, 15 de março de 2010

O mistério de Maria


O que houve com Maria?
Que perdeu a velha mania
Quem no passado diria
Que um dia veria Maria
Do jeito que não se previa?

Maria, não é a mesma que eu conhecia:
Maria, por dentro não sorria
Maria, agora tem alegria
Maria está cheia de sabedoria
Maria, só fala com ousadia
Maria, fala até em profecia
Maria, não age como antes agia
Maria, não tem mais a mente vazia
Meu Deus! o que houve com Maria?

Eu bem sabia da mudança de Maria:
No carnaval, ela não vestiu a fantasia
Isolada, nem chegou perto da folia
Não vai a missa nem faz mais simpatia
Maria, já não pratica a idolatria
Maria, não consulta a astrologia
Maria, não reza mais para Maria
No entanto, Maria todo o dia
Se veste como antes não vestia
Pega a bíblia e vai ao culto em “Samaria”
Meu Deus! O que houve com Maria?

Um dia... Curiosa eu segui Maria
Até a casa onde Maria residia
Pois queria ver se descobria
O mistério que Maria escondia
Pois motivos eu sabia que havia
Porque minha mãe sempre me dizia
Que ninguém muda da noite para o dia
Meu Deus! O que houve com Maria?

E na janela entreaberta eu me escondia
E assistia Maria, que com alegria sorria
Trazia a bíblia na mão e a abria
E lia e lia. Como lia Maria!
Agora, eu entendia o mistério de Maria.
Lá de fora eu tremia, porém percebia
Uma luz tão gloriosa que nela refletia
E enchia os lindos olhos de Maria.
Também sentia, a virtude que do céu descia
E entendia, a paz que Maria sentia.
Era a paz que o mundo não conhecia
Uma paz tão grande que não cabia
No pequeno coração de Maria...

-->

sexta-feira, 5 de março de 2010

Gratidão pela vida


Obrigada Senhor
Porque chego ao patamar da existência
Com uma bagagem cheia de experiência
E uma linda história para contar...
Obrigada, porque esta história tão linda
Está sendo escrita, em mistérios ainda
Pois o Senhor lhe acrescenta todos os dias
Lágrimas e sorrisos, tristezas e alegrias
Obrigada, porque nesta estação desconhecida
Eu posso mudar o meu testemunho de vida
Fazendo as pequenas coisas que nunca fiz
Como estender a mão, ou pedir perdão
Dizer “eu te amo” e fazer alguém feliz
Obrigada, pela alegria de viver este momento
Pois a felicidade não está restrita ao tempo
Podemos ser felizes através de um sorriso
Ou fazendo das coisas simples o nosso paraíso
Obrigada, porque chego sorrindo e não chorando
Com o coração agradecido e não lamentando
Porque as angústias e as decepções sofridas
Não me tornaram amarga, nem deixaram feridas
Pelo contrário, elas fortaleceram o meu interior
Tornando-me um vaso nas mãos do Senhor
Obrigada, porque quando olho os dias passados
Vejo-me como um pôr-do-sol, que timidamente
Ainda reflete com seus lindos raios dourados
A alegria do porvir, no coração de tanta gente
Obrigada, pelos sonhos que tornaram realidade
E pelos que sonhei, e não estavam na tua vontade
Porque apesar dos altos e baixos desta vida
Cheguei até aqui com fé e de cabeça erguida
Obrigada Senhor... Porque em Cristo sou redimida
Porque não adiantaria ter todo bem desta vida
Ter fama, beleza, prestígio ou ter dinheiro
Não adiantaria eu conquistar o mundo inteiro
Sem ter a certeza de um dia morar no céu
Sem a esperança de ver-Te, além do véu...

Existe uma Mulher


Existe uma mulher...
Que tem na alma a singeleza
E no olhar tamanha beleza
Que igual só existe no céu...
Existe uma mulher...
Que é simples, sincera e graciosa
E tem a sublimidade de uma rosa
Ela adorna, perfuma e dá mais cor
Ao imenso jardim do seu Senhor...
Existe uma mulher...
De coração alegre e vida consagrada
Como Maria, ela é bem aventurada
Suas palavras são doces como o mel
Tem os pés na terra e o coração no céu...
Existe uma mulher...
Que tem a mão estendida para abençoar
E pés, que só vão onde o Senhor mandar
Embora se vista de uma aparente fragilidade
É a coluna da família, da igreja e da sociedade...
Existe uma mulher...
Que por onde passa é sempre destacada
Pois ela é diferente, transparente e renovada
Entre as densas trevas, ela brilha como luz
Esta mulher... Teve um encontro com Jesus...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Mulher

Pronto! Finalmente a obra está completa! Não falta mais nada no grande universo, porque da costela de Adão o Senhor fez você, mulher...
No principio Deus criou os céus e a terra, o dia e a noite, o sol, a lua e as estrelas, mas faltava você...
Criou as arvores e as flores do campo, os animais, as aves que voam no céu e os peixes que habitam no mar e ainda assim faltava você...
Então, Deus criou o homem à sua imagem e semelhança. Ah! Que obra maravilhosa e gloriosa! Aquela era a coroa da sua criação, mas mesmo assim, ainda faltava você...
Faltava alguém feminina, delicada, submissa... Poderia ser frágil na aparência, mas com uma força interior tão grande, que a tornasse coluna da família, da sociedade e da igreja.
Tão completa, que pudesse gerar um novo ser dentro de si, que o amamentasse e que nas caladas da noite, murmurasse para ele a mais linda canção de ninar.
Alguém de valor incalculável, procurada e admirada como as jóias mais preciosas. Alguém disposta a perdoar, compreender, e renunciar, com capacidade para amar, ainda que não seja amada.
Sim, faltava você! A inexplicável, insondável e magnífica mulher. Aquela que não se define, mas que toda beleza e graça exprime.
E para preencher o vazio que havia no universo e abençoar toda humanidade, DEUS CRIOU A MULHER...